admin

Parceria com a Intervisão

on 4 Outubro, 2023
A Psicofix tem uma parceria com o consultório “Intervisão” onde fazem terapia familiar e terapia de casal. As sessões são aproximadamente de 1h30 e por norma são de 3 em 3 semanas.

Edifício Cruzeiro, no Largo da Cruz de Celas, 2º Andar, Sala 30
3000-132 Coimbra.
Ler mais

Anafilaxia: impacto na qualidade de vida

on 14 Outubro, 2022

Apesar do número de estudos do impacto da qualidade de vida em doentes com anafilaxia ter vindo a aumentar nos últimos anos, ainda se verifica uma grande lacuna nesta área de investigação.

Sabemos que uma reação anafilática pode ser traumática e pode trazer desafios adicionais. Alguns estudos relatam que jovens adultos alérgicos a alimentos, que sofreram reações anafiláticas, apresentavam níveis de ansiedade elevados e os seus pais eram mais protetores do que pessoas alérgicas que não tiveram reações graves.

Num sistema de saúde em que a abordagem centrada no doente é agora favorecida, a pesquisa sobre a qualidade de vida em pacientes com anafilaxia pode fornecer meios para melhorar a sua gestão, o cuidado e as experiências dos pacientes, mas também das suas famílias.

É evidente que a experiência da anafilaxia tem um impacto psicossocial nas crianças, adolescentes, adultos e também nas suas famílias. Em particular, a constante vigilância necessária, a evicção alimentar restrita e a experiência diária de gerir a doença têm um impacto direto nas atividades diárias, pelo que é importante avaliar ao longo do tempo esse impacto.

Por vezes, é importante envolver os adultos na compreensão das suas emoções e torná-las mais adaptativas. Após uma reação anafilática, os doentes podem sentir alguma vergonha ou perda de confiança no exterior, que pode levar a um medo de julgamento e potencial isolamento social. Nalguns casos podem mesmo não ser capazes de identificar quais os sentimentos que experienciaram e que implicações isso está a ter no seu dia-a-dia.

A intensidade  e a complexidade das reações emocionais pós-anafiláticas têm muitas vezes influência na qualidade de vida desse doente, assim como a idade, o género, o país e a cultura. Estudos relatam que normalmente mulheres têm indicadores piores de qualidade de vida a gerir a doença dos seus filhos do que os homens, enquanto os adolescentes estão em maior risco de reações adversas relacionadas com a sua autonomia.

Percebemos que o risco de ter uma reação está sempre presente, sendo que o quando, como e onde ter essa reação pode aumentar o medo, ansiedade, vergonha ou frustração sentida e, consequentemente, ter um maior impacto na qualidade de vida do paciente que experienciou a anafilaxia.

É relevante continuarmos na direção das abordagens multidisciplinares, com uma equipa de cuidados integrados que pode consistir no imunoalergologista, enfermeiros psicólogos, nutricionistas, assistentes sociais, entre outros. Esta abordagem multidisciplinar pode preencher a lacuna entre atender apenas às necessidades físicas do paciente e atender também às necessidades psicossociais dos indivíduos que já experienciaram uma anafilaxia.

Esta perspetiva de atenção biopsicossocial integrada, onde profissionais médicos e outros profissionais de saúde mental trabalham em colaboração com pacientes pós-anafilaxia, pode ser relevante no trabalho terapêutico destes doentes e, consequentemente no aumento da sua qualidade de vida.

Cátia Lopes

 

(artigo publicado aqui)

Ler mais

Bem-vindos!

on 22 Setembro, 2015

Uma equipa dinâmica de colegas e profissionais da Psicologia/Educação criou este espaço para poder partilhar ideias, sugestões, dicas, notícias, artigos e estar mais perto de si.

Os protagonistas são 5! Um homem com muita paciência no meio de 4 mulheres mas todos muito apaixonados pelo seu trabalho, pelas ciências sociais e pelo bem-estar do ser humano.

Conheça a nossa equipa e seja muito bem-vindo ao nosso pequeno espaço de reflexão!

AnaRosaPsicofix

Ana

 

 

A Ana é a nossa sonhadora, curiosa pelo mundo e pelas suas culturas, entrar num avião fá-la sentir-se livre para conhecer novos lugares. Adora “laurear” pela vida lá fora mas um bom livro e uma lareira quente agarram-na num dia de inverno. Lutadora é o seu nome do meio, Psicóloga, é o último e Bióloga já foi um dia, em sonhos, o primeiro.

 

 

 

BrunoMoreiraPsicofix2

Bruno

 

Brincalhão, perspicaz e com alma do norte, o Bruno é o único Psicólogo da equipa  (leia-se o único homem). Habituado a viver, conviver e trabalhar com mulheres (só lá em casa são 3 e aqui outras 3!!), é um apaixonado pela aviação, pelas motas e a mente humana desperta em si uma curiosidade inata e genuína.

 

 

Catia

Cátia

 

 

Mãe de duas meninas, companheira e profissional, tenta conciliar nas 24horas de um só dia, todas as suas tarefas com a mesma serenidade (não fosse ela mulher dos 7 ofícios!!). Empreendedora, sempre com o balão da lâmpada por cima da cabeça a fervilhar novas ideias, é apaixonada pela psicologia infantil e a vida fez despertar a sua curiosidade e interesse para os desafios das alergias alimentares.

 

 

 

Íris

Íris

 

Sempre alegre e divertida a sua gargalhada e o seu sorriso enchem uma sala. Apaixonada por viagens e fotografia, a sua vontade de conhecer o mundo fora das 4 paredes é evidente. No seu coração guarda a 7 chaves a sua família, os amigos, o rebento que aí vem e o seu amigo de 4 patas. Apresentamos-vos a Íris, a nossa artéria da Educação.

 

 

 

Mariana

Mariana

 

A Mariana é a energia em pessoa! Dinâmica e organizada, encaixa na sua agenda XXL todas as suas multitarefas de um só dia (ou acha ela que consegue) arranjando ainda um espacinho para os seus mais que tudo! Apaixonada desde cedo pela Psicologia e pelos desafios da mente humana, a sua veia curiosa agarra-se que nem uma lapa à investigação científica. A dança, a família, os amigos e os bons momentos são as peças que fazem parte do puzzle ainda incompleto que é a sua vida.

 

Ler mais